fbpx

Select Page

A terceirização no setor de TI é fundamental para a geração de novas empresas e postos de trabalho, apontam especialistas

A terceirização no setor de TI é fundamental para a geração de novas empresas e postos de trabalho, apontam especialistas

O portal Bizmeet apresentou diversos depoimentos de especialistas em tecnologia sobre a reoneração da folha de pagamento para a área de TI. Essas mudanças – realizadas pelo atual governo federal – comprometerão o setor de tecnologia, que é um dos mais rentáveis e vantajosos do Brasil, e gerar desemprego, principalmente da terceirização.

Diversos especialistas de tecnologia opinaram sobre essas questões, bem como a importância dos serviços terciários na área de TI. Confira!

Terceirização na área de TI

A terceirização é fundamental pois ajuda criar dinamismo no setor de TI, juntamente com a geração de novas empresas e postos de trabalho. A nova Lei, que foi aprovada pela Câmara dos Deputados, já está em funcionamento, mas o Tribunal Superior do Trabalho a interpretou de forma errada, o que ocasionou em prejuízos para os empresários de tecnologia.

De acordo com Benito Paret, presidente do TI Rio, as novas configurações da lei geraram dificuldades para o setor. “As empresas de Tecnologia, em especial as nossas de TIC, tem a necessidade de contratar serviços especializados cada vez em maior escala devido às mudanças da evolução tecnológica. A CLT, não proibia essa prática, mas o TST tinha interpretado a Lei de forma errônea, criando dificuldades”, explica.

Para Edgar Serrano, presidente da Fenainfo (Federação Nacional das Empresas de Informática), é necessário uma atualização. “A atual Lei de Terceirização impede que uma empresa de TI possa contratar outra. Esse absurdo só existe porque ela é tão antiga que não contemplou a futura chegada do software na sociedade”.

Essa atualização irá criar um setor mais intelectualizado, inovador e vantajoso para a economia. É o que pensa Carlos José Pereira, vice-presidente regional da Fenainfo. Para ele, as mudanças irão interferir nas relações entre empregados e empregadores de forma positiva. “O que parece é que o governo finalmente entende que o melhor é uma atualização necessária de leis que foram importantes em determinado momento mas que estavam prejudicando a produtividade e o desempenho das empresas, com consequente dificuldade de reação na geração de emprego e renda”, ratifica.

Benefícios

Atualizar a Lei de Terceirização e regulamentá-la trará inúmeras vantagens para as empresas de TI, como a ampliação de negócios, geração de rendas e facilidades nas relações de trabalho de serviços especializados. Terceirizar, principalmente nessa área, significa melhorar as atividades em todos os aspectos.

Na opinião de Ana Paula Galesky, assessora de imprensa da Fenainfo, a Lei de Terceirização traz avanços. “A relação fica mais organizada e com a possibilidade de se especializar”, pondera.

Tiago Reis, superintendente do Sindesei (Sindicato das Empresas de Serviços de Informática), diz que essa modernização é vantajosa para a economia. “Ela permite a especialização da produção, a abertura de postos de trabalho e aumenta a segurança jurídica dos envolvidos, potencializando, assim, a qualidade e a eficiência dos serviços prestados tanto para os clientes públicos quanto para os privados”.

Para Gerino Xavier, vice-presidente regional da Fenainfo, a terceirização facilita muito a compra de conhecimentos de TI. “Por exemplo, um engenheiro de testes, especializado em determinada rotina terá mais serviço porque é especializado e as empresas poderão contratá-lo apenas pelo prazo necessário”, explica.

Os direitos e os deveres de um funcionário terceirizado são os mesmos que um contratado fixo. Para Diogo Rossato, presidente do SEPRORGS (Sindicato das Empresas de Informática), ele possui vantagens por conta da liberdade. “Se quiser optar por abrir sua própria empresa, porque vê nesta modalidade a possibilidade de ter maior rentabilidade, poderá fazer. É menos intervenção do governo e maior liberdade para as partes”.

Cadeia Produtiva Virtuosa

Para alguns especialistas, a criação de uma Cadeia Produtiva Virtuosa auxilia no crescimento do setor. “Precisamos aumentar a riqueza do país com inovação. E para termos inovação é necessário um ambiente propício que é a Cadeia Produtiva Virtuosa”, explica Edgar Serrano, presidente da Fenainfo.

Ana Paula Galesky vê inúmeros bônus. “Na cadeia produtiva de TI, com a subcontratação em cadeia produtiva, haverá maior produção de emprego e mais empreendedores com possibilidade de crescimento”.

A newsletter do Bizmeet traz informação de valor todas as semanas de assuntos postados no portal. Não deixe de acompanhar!

Sobre o Autor

Redação

O Bizmeet é um das principais referências do Centro-Oeste nas áreas de Tecnologia e Inovação. É ganhador de prêmios regionais e até mundialmente reconhecido. Empresas e instituições de grande renome já investiram em iniciativas do portal

Sugestão de Pauta

Parcerias

Newsletter

Inscreva-se para receber notícias e atualizações.

Sua inscrição foi realizada com sucesso

Share This