Um gestor público ou privado possui tempo limitado para a tomada de decisão. As pressões diárias são constantes e uma pequena mudança no mercado de tecnologia, pode abalar a estrutura de uma empresa ou startup.

Vivo há mais de 20 anos o mundo da Tecnologia e Inovação de perto. Fui gestora em grandes e pequenas de TI aqui na região e assessorei gestores públicos na tomada de decisão. Além disso, ministro um workshop com o tema “Como implantar a inovação tecnológica em organizações” e acompanho diariamente as reais necessidades do setor, como coordenadora do Bizmeet. Sendo assim, encaminho as principais tendências para organizações públicas e privadas trazidas pela Campus Party Bsb 2017.

1) Profissões do futuro

“Nas próximas décadas, os robôs irão substituir os humanos em todos os empregos, devemos chegar ao ponto de que apenas as máquinas irão trabalhar.” – é o que defende Paco Ragageles”, é o que defende CEO e Co-fundador da Campus Party

O futuro é para aqueles que dominam a tecnologia, os softwares e robôs. Paco citou um website que determina a possibilidade da sua profissão ser substituída por um robô.

2) Cidades que funcionam à base de Tecnologia e Inovação

Uma das principais tendências do futuro são as Cidades Inteligentes, que exigem conhecimento em tecnologia e políticas públicas focadas no assunto. Essa questão impactará a vida do cidadão comum em diversos sentidos.

Segundo o deputado Vitor Lippi (PSDB-SP), criador da Frente Parlamentar Mista em Apoio às Cidades Inteligentes e Humanas, a busca por soluções para as cidades por meio de tecnologias e sistemas de informação integrados precisa de políticas públicas que, no Brasil, ainda engatinham. “Estamos muito atrasados e precisamos nos adequar. Temos que conectar as pessoas, por isso precisamos pensar como ampliar a banda larga no Brasil. Hoje, só 50% dos brasileiros a têm em casa”, ponderou.

3) Hackatons

A Campus Party contou com inúmeros campeonatos de tecnologia chamados de hackathons. Entidades como o Governo do Distrito Federal, do Banco de Brasília (BRB), Caixa Seguradora, projeto EduLivre e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), lançaram seus desafios aos campuseiros. O portal Bizmeet já citou em detalhes o que é um Hackathon.

4) Realidade Aumentada

O Stand do IBGE, por exemplo, trazia diversos dados em realidade aumentada, possibilitando ao cidadão comum o conhecimento de várias ações do governo. Os campuseiros e famílias que visitaram o local ficaram encantados com a tecnologia. Trata-se de uma forte tendência para organizações públicas e privadas.

5) Segurança da Informação

Depois do ataque do Ransoware wannacry, surgiu a urgência de debates e políticas sobre o tema. Organizações públicas, empresas privadas e usuários comuns foram impactadas por esse mal. A Campus trouxe uma palestra exclusiva sobre o tema, trazendo a relevância da segurança da informação para a sociedade. O tema também foi destaque em um evento recente promovido pelo MCTIC.

Mais informações

Campus Party Brasília 2017: um marco na tecnologia da região