Ontem, dia 8 de março, a coordenadora do portal Bizmeet, Juliana Ribeiro, se reuniu com o presidente do Sindicato das Indústrias de Informação (Sinfor) e um dos sócios da empresa Telemikro, Ricardo Caldas, para saber das últimas notícias sobre o parque tecnológico – o Biotic – e conhecer mais das ações do Sinfor, que tem despontado nesse mercado. O bate papo foi produtivo e descontraído com expectativas sobre o futuro do Parque Tecnológico.

Desvirtuamento

O parque tecnológico é um projeto do Sinfor, de mais de 16 anos, construído para abrigar empresas de tecnologia, inovação e comunicação em um único ambiente, contudo, fatos recentes desvirtuaram a premissa que o Sinfor havia proposto. Seu nome, de acordo com o presidente do Sinfor, deveria chamar-se Parque Tecnológico Capital Digital. “Lamentavelmente, nós tivemos a mudança agora no início do ano para esse nome (Biotic) e a introdução da biotecnologia, que no Distrito Federal é algo incipiente”, explica Ricardo.

De acordo com o presidente do Sinfor, a inserção da biotecnologia não agregará em nada ao parque tecnológico e trará problemas irreversíveis. “Na verdade criará um desvirtuamento, como aconteceu com as outras áreas de desenvolvimento econômico aqui em Brasília”.

Convicção

Durante a conversa, a coordenadora do Bizmeet perguntou ao presidente do Sinfor qual é o próximo passo do sindicato com relação ao parque tecnológico e o que espera-se do governador Rodrigo Rollemberg sobre isso. Ricardo Caldas afirmou que o Sinfor continuará firme em suas convicções em ocupar o parque tecnológico. “A área de tecnologia e comunicação precisa, sim, estar inserida na discussão do parque. Nós continuaremos firmes em buscar ocupá-lo e e em tratá-lo como um parque para a área de TI, porque ela está incluída em seu objetivo”, pondera com veemência.

Incentivos

Para Ricardo Caldas não é uma área como a biotecnologia que irá definir o que será o parque tecnológico, mas sim incentivos e recursos investidos nele. “Essa área precisa de incentivos econômicos e fiscais, por dois aspectos: primeiro, para fixar as nossas
empresas que estão no parque tecnológico; e segundo, para atrair empresas de fora de Brasília”, opina.

O Sinfor não desistirá de que o parque tecnológico volte a sua função original e tentará de todos os meios para que isso aconteça. “Nós buscamos o diálogo com o governo para continuar influindo nesse processo do parque tecnológico”.

Agradecimentos

Ao final do bate papo Juliana Ribeiro desejou que o Sinfor persista nesse objetivo, pois – por fazer parte de um veículo de comunicação de tecnologia, o Bizmeet – percebeu que o tema do parque tecnológico gera movimento em todos os nichos, seja no empreendedor, empresarial, profissional ou acadêmico. “Vamos torcer, para que esse intuito inicial do parque – que o Sinfor abraçou – permaneça. Em nome do Bizmeet agradeço a sua atenção e apoio. Tudo que for para a comunidade de tecnologia e para o bem dos empreendedores estaremos juntos com vocês”.

Ricardo Caldas, por sua vez, agradeceu o bate papo e ao portal Bizmeet. “Gostaria de parabenizar o trabalho que o Bizmeet tem feito em prol da tecnologia da informação de Brasília e do Brasil”, finalizou.

Confira o bate papo na íntegra

Leis, posicionamentos governamentais e notícias de política ligadas à Tecnologia, Empreendedorismo e Inovação estão em pauta no Bizmeet. Assine a nossa newsletter e fique por dentro!