fbpx

Select Page

Super Desafio Covid-19: incentivo para startups e empresas inovadoras

Super Desafio Covid-19: incentivo para startups e empresas inovadoras

A 100 Open Startups, plataforma de inovação aberta que conecta empresas e startups, abriu gratuitamente seu sistema para o lançamento de desafios relacionados à crise causada pelo coronavírus. Isso quer dizer que empresas, governo e sociedade civil do Brasil, podem acessar a plataforma, mesmo que não seja integrante, descrever um problema relacionado à Covid-19 e aguardar soluções das startups.

Inicialmente, foram definidos seis temas principais no que está sendo chamado de Super Desafio Covid-19, mas a ideia é incluir outros nos próximos dias conforme as necessidades forem surgindo. O primeiro está relacionado ao trabalho remoto, uma nova realidade nos tempos de pandemia. Como boa parte das empresas não estava preparada para isso – o que gera uma série de novas necessidades para as organizações e seus funcionários – o objetivo é buscar soluções que atendam a essas necessidades, como ferramentas de comunicação e videoconferência, gestão de tarefas e da equipe, recursos para relacionamento com stakeholders, gestão de documentos e assinatura eletrônica, conectividade, cuidados com os filhos e parentes e gestão de finanças, entre outras.

DICA: Quer manter você e sua família longe do coronavírus? Então siga e acompanhe o instagram da Juliana Ribeiro

O segundo desafio passa pela saúde e pelos tratamentos, já que além de avanços em direção à cura e ampliação do acesso ao diagnóstico, o cenário gerou demandas específicas para instituições e profissionais do setor. A meta é encontrar soluções a essas necessidades, como novos princípios ativos, medicamentos e tecnologias em vacinas, recursos para monitoramento de sintomas à distância, gestão e ampliação de leitos, telemedicina, monitoramento de grupos de risco e pesquisa e desenvolvimento de testes e exames, entre outras inúmeras possibilidades relacionadas ao tema.

Em seguida está a busca por soluções para o varejo, comércio e logística, já que a necessidade de controle da disseminação da doença limitou a circulação de pessoas e mudou a rotina de toda a cadeia. O objetivo é minimizar esse impacto, com, por exemplo, plataformas para compra e venda de produtos e serviços por meio da internet, redes sociais e outros canais, recursos de relacionamento com clientes, soluções para sustentabilidade de pequenos e médios empreendedores e empresas, sistemas de delivery, gestão financeira e acesso a crédito.

O quarto desafio está relacionado à resolução de gargalos causados na educação, informação e conscientização, já que a suspensão das aulas presenciais para reduzir a propagação da doença gera necessidades específicas para professores autônomos e instituições de ensino. Paralelamente, há a necessidade de informação confiável e conscientização da população sobre a doença e seus desdobramentos. A busca é por soluções como plataformas de ensino à distância, acesso à informação confiável e soluções para o cuidado familiar, entre outras.

No que diz respeito ao entretenimento, vale lembrar que o isolamento também tem impacto direto sobre artistas, músicos e outros profissionais ligados ao lazer e diversão. O objetivo, neste caso, é encontrar soluções que diminuam esse impacto, como streaming de vídeos, música e outros, comercialização de serviços de artistas e plataformas de crowdfunding.

O último desafio está relacionado à mobilidade, já que o deslocamento da população, especialmente nos transportes públicos, é fator de risco e uma das principais formas de propagação do vírus. A meta é encontrar soluções à mobilidade urbana diante dos cuidados que essa crise demanda, como higienização e prevenção da contaminação no transporte público, formas de transportes alternativos, informações sobre rotas seguras e com menos aglomeração e segurança.

Rapidez é essencial

“O que estamos fazendo é disponibilizar a nossa plataforma e metodologia para um tema específico, que, neste momento, é mais importante do que todos os outros”, explica Bruno Rondani, CEO da 100 Open Startups. O executivo revela, ainda, que nas primeiras 24 horas do lançamento da iniciativa, empresas como Latam, Basf e Danone Nutricia já manifestaram interesse nas soluções de uma das 50 startups inscritas no desafio.

Como participar

Hoje, a plataforma conta com uma rede de mais de 10 mil startups e 2.400 instituições. No formulário , cada representante pode expor com que tipo de solução de startups e da comunidade científica tem interesse de se conectar para melhor lidar com os impactos causados pela pandemia do Covid-19. Já as startups que tenham interesse em contribuir oferecendo suas soluções podem se conectar pelo link.

DICA: Quer manter você e sua família longe do coronavírus? Então siga e acompanhe o instagram da Juliana Ribeiro

Sobre o Autor

Redação

O Bizmeet é um das principais referências do Centro-Oeste nas áreas de Tecnologia e Inovação. É ganhador de prêmios regionais e até mundialmente reconhecido. Empresas e instituições de grande renome já investiram em iniciativas do portal

Sugestão de Pauta

Parcerias

Newsletter

Inscreva-se para receber notícias e atualizações.

Sua inscrição foi realizada com sucesso

Share This