A Startup Contratado.me desenvolveu plataforma que usa big data e machine learning para ajudar profissionais e empresas. Trata-se de umas das principais tendências na contração de pessoas: aliar o potencial da tecnologia às necessidades do mercado.

Com base em São Paulo, capital, a startup tem como sócios fundadores o brasileiro Lucas Mendes, 33, e o australiano Lachlan de Crespigny, 32. Em resumo, a companhia desenvolveu uma plataforma que usa big data e machine learning para otimizar o recrutamento de profissionais. Só que ao invés de colocar a vaga no centro do processo, a Contratado inverte a lógica e faz do candidato a razão para quais as empresas a buscam, em primeiro lugar.

“Queremos transformar a forma como empresas e talentos de alto potencial se conectam. Hoje em dia isso acontece mais por indicação e consultorias operam de forma muito offline. Os sites de vagas são uma espécie de classificados de jornal, só que online. Acho que conseguimos transformar esse modo de conexão”, aposta Lucas Mendes, em entrevista ao IDG Now!

Inteligência artificial ajudando profissionais e empresas

A Contratado diz ter como objetivo oferecer os melhores profissionais para as melhores empresas. E para isso, a empresa encontrou na inteligência artificial a sua melhor garantia.

“Não gostamos da ideia de que tem uma pessoa que diga qual currículo é bom ou não. Preferimos usar os dados das empresas dentro do nosso marketplace para atribuir uma pontuação dentro do currículo”, diz Mendes.

Segundo o empreendedor, a plataforma aprova apenas cerca de 5% de todos os candidatos. Os currículos, que chegam por meio de cadastro (profissionais podem fazê-lo de forma gratuita), são analisados por um algoritmo, que fará a primeira triagem. Mendes explica que se houver um número maior de empresas com demanda por candidatos com certas habilidades, experiências e universidades, essa combinação ganhará um ponto na avaliação dos currículos. E são essas pontuações que alimentam o algoritmo da Contratado.

Depois, aqueles selecionados pelo algoritmo passam para uma segunda etapa, que consiste na realização de testes técnicos adaptados de acordo com as habilidades e experiências de cada um. Um candidato que seja um desenvolvedor front end, por exemplo, realizará testes para medir o seu conhecimento em HTML e javascript.

Para Mendes, essa curadoria garante profissionais melhor habilitados para um universo que se prepara para a transformação digital. Ao se focar em talentos com especialidades como programação, design, marketing digital e negócios, a Contratado também garante um nicho que, até então, tem passado ao largo da crise.

“Quando conversamos com as primeiras 50 empresas, vimos que muitas delas falavam sobre como era difícil contratar talentos em TI”, diz o cofundador. “Outra razão é que o candidato de TI é muito mais difícil de ser avaliado pelo RH, ele precisa de uma validação mais técnica”, completa.

Segundo a startup, até então mais de cem mil profissionais já foram avaliados e cinco mil recrutadores já se cadastraram. Por meio da plataforma, foram feitas mais de dez mil ofertas de emprego.

Em contrapartida, atrair os melhores candidatos exige também atrair as melhores empresas, um balanço que leva em consideração o crescimento e histórico da companhia, valores e até mesmo o quanto as empresas empregam de tecnologia. Entre as contratantes há nomes como Natura, Monsanto, Via Varejo e 99.

Informações

Site: https://www.contratado.me/
Investimento: para os candidatos, a Contratado garante o cadastro gratuito da plataforma, já as empresas contratantes precisam pagar por um plano de assinatura.